Português para disléxicos – Como Apreender a gramática e se comunicar melhor com o mundo

Para adultos disléxicos, problemas com a gramática, não raramente, são uma fonte de stress e frustração. Esses problemas podem até mesmo ser causa para a depressão ou mesmo um profundo abatimento. Para alguns disléxicos, a constante percepção de fracasso quando se lida com a gramática é certamente uma dificuldade  que merece ser vencida.

Ainda em 2013 o site Terra Brasil, em um artigo sobre dislexia, divulgou como a dislexia e o déficit de atenção podem prejudicar o aprendizado em adultos. O artigo também mencionou que a maioria dos adultos disléxicos desconhecem a sua dislexia, e só acabam sendo diagnosticados com a dislexia quando buscam ajuda para alguma criança da família que apresenta os sintomas desta dificuldade do aprendizado.
Dislexia e gramática

Atualmente, poucos ousariam negar que ser capaz de se comunicar claramente usando a língua escrita facilita a interação e relacionamento com outros e nos torna mais produtivos. E assim, somos deixados com a pergunta: com um disléxico adulto pode fazer para superar as dificuldades apresentadas pelo próprio idioma, a língua portuguesa. Mas, antes de respondermos a esta pergunta precisamos estudar a relação entre a dislexia e QI.

Dislexia não é sinônimo de retardamento ou baixo QI

Antes de qualquer outra coisa, precisamos deixar bem claro que a dislexia não é  sinônimo de dificuldades com a gramática, nem de retardamento ou baixo QI. Este é apenas mais um mito sobre a dislexia que é espalhado por ai. Estudos recentes mostram que a dislexia e baixo QI não estão diretamente relacionadas.

Um artigo no site do Instituto Criar mostra como a Dislexia não é nem sinônimo de preguiça nem sinônimo  de baixa inteligência. O fato aqui é que estas condições podem ocorrer separadas ou simultaneamente. E neste texto estamos especificamente tratando de disléxicos adultos que experimentam dificuldades com o aprendizado e uso da gramática na língua portuguesa.

Um problema que enfrentamos com respeito ao que foi dito acima é que mesmo com o aumento do conhecimento sobre a dislexia, a expectativa por parte de uma considerável parcela da sociedade ainda é de que qualquer individuo escolarizado deve ser capaz de se comunicar corretamente na forma escrita. A mensagem divulgada é clara – Erros gramaticais não são bem vindos.

Além do que foi mencionado acima, vale a pena lembrar que a dislexia ainda  é com frequência vista como uma doença, o que pode favorecer o ostracismo e o isolamento de pessoas com sintomas da dislexia. Talvez, seja este o momento de elegermos uma visão mais social da dislexia e entender que toda a sociedade precisa se conscientizar e se adaptar às necessidades geradas por esta situação.

Não podemos negar – nos últimos 100 anos a Gramática se tornou um aspecto central da vida cotidiana de todos

Menos de 150 anos atrás não existia uma ortografia oficial da língua portuguesa e o Brasil era um país de muitos analfabetos. Naquela época, outras preocupações como a abolição da escravatura e a transição da situação política de Colônia a Império e consequentemente Republica eram o centro das atenções . Uma tentativa centrada de organizar a ortografia portuguesa. por exemplo, só aconteceu por volta do ano de 1910 com a influencia da Academia Brasileira de Letras.

Adiante a imagem 100 anos e chegamos a 2016. Na correria do dia a dia,  erros ortográficos ou problemas com a ordenação dos termos da oração dentro da língua portuguesa, por exemplo, podem dificultar bastante a vida profissional de um disléxico. Erros ortográficos com frequência anulam documentos oficiais, currículos e reduzem notas em avaliações e concursos. No entanto, conviver passivamente com essas experiencias não precisa ser uma sentença perpétua de sofrimento e fracasso.

A maioria dos Disléxicos pode sim aprender a Gramática da Língua Portuguesa

Imaginemos, se o simples ato de ler para uma pessoa disléxicas pode ser uma tarefa bastante complicada; escrever então, com fluência, clareza e assertividade pode representar um desafio ainda maior. Mas, apesar disso, a boa notícia é que é possível sim aprender a Gramática da língua Portuguesa. Confira abaixo três chaves para destravar o conhecimento da gramática do português:

  • Gramática não é 2+2=4  nem é ciência espacial- Precisamos admitir que a língua portuguesa embora seja a quarta língua mais falada no mundo, não deixa de ser uma língua bastante complexa, embora também não seja um bicho de sete cabeças. Nem mesmo os gramáticos se entendem sobre os finos detalhes da língua como: pontuação ou classificação das palavras. A gramática constitui uma ferramenta útil para comunicar ideias complexas. Precisamos ter expectativas razoáveis quanto ao que se espera dos alunos diante de uma realidade destas.
  • Contexto é importante – Com frequência, pessoas com dislexia precisam receber mais do que pura informação durante o aprendizado. Não basta apenas gravar, ou memorizar – é preciso que o professor repasse o significado e relevância do que está sendo ensinado para o aluno.
  • Ansiedade, medo e traumas precisam ser resolvidos com profissional especializados – Antes de qualquer coisa, no momento do aprendizado, é preciso oferecer um ambiente calmo, tranquilo e favorável ao aprendizado para que disléxicos tanto jovens como adultos possam se dedicar a esta tarefa tão importante. Vale a pena lembrar que: o aprender não é uma atividade mecânica – aceitação, vontade e confiança são fundamentais. Por isso, precisam ser resolvidas ou contornadas  questões emocionais e psicológicas antes de se mergulhar no aprendizado.

Conclusão…

O que podemos concluir é que embora a dislexia possa estar ligada à dificuldade na escrita, esta relação não é obrigatória e não  precisa ser uma sentença de ostracismo e de isolamento social. Para  a maioria dos adultos disléxicos, com exceções de casos extremos, superar essa dificuldade é possível. Para isso, é preciso que reconheçamos a real dificuldade que representa dominar a língua portuguesa tanto para os disléxicos quanto para outros não disléxicos; apresentemos ao aluno um contexto claro do uso dos termos e das funções que estão lhe sendo ensinadas e principalmente não ignoremos os aspectos traumáticos ligados a ansiedade, emoções e o próprio processo de aprendizado.

E embora ter vontade de aprender seja um importante requisito, contar com recursos humanos, tecnológicos e emocionais apropriados também é essencial para um processo de aprendizagem gramatical produtivo e mais saudável.

Publicado em Dislexia, Soluções Marcado com: , , ,
Um comentário sobre “Português para disléxicos – Como Apreender a gramática e se comunicar melhor com o mundo
  1. Eliane Peixoto Santana disse:

    Boa tarde!!!

    Um texto maravilhoso sobre a Dislexia já reconheci que tenho está difilculdade com este problema; Estou-me organizando para que eu possa pagar um professor para melhorar o meu aprendizado.

    Tenho momentos que eu fico muito triste qdo vem as dúvidas gramaticas.
    Mais sei que vou melhorar,Preciso muito de ajuda…

    Obrigada pelo esclarecimento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*